Creche da Sé Velha foi hoje inaugurada e pode acolher até 71 crianças

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, inaugurou hoje a creche da Sé Velha, situada no centro histórico da cidade, e assinou o contrato de atribuição do direito de exploração do imóvel com o presidente da direção da Obra de Promoção Social do Distrito de Coimbra, Mendes dos Santos. Esta Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) foi a que apresentou a melhor proposta no concurso público que a autarquia lançou em novembro passado. O novo equipamento pode receber até 71 crianças, desde os quatro meses aos cinco anos de idade, servindo prioritariamente os pais que residam ou trabalhem, ou o venham a fazer, na área de implantação do imóvel e que tenham parcos recursos económicos.

A obra de reabilitação dos imóveis, situados no Largo da Sé Velha n.º 30 e Beco da Carqueja n.º 3, foi realizada pela CMC com vista à implementação de uma creche, com berçário e infantário, que servisse as necessidades dos casais que habitam ou trabalham na Alta e Baixa de Coimbra. “Esta missão está cumprida, graças ao esforço de muita gente. Quero felicitar todos os que aqui trabalharam pelo resultado alcançado, sobretudo pela sensibilidade com que olharam para este desafio e acolheram a mensagem do que era destinado que nele acontecesse e que é isto - uma creche, para ajudar a revivificar o centro histórico de Coimbra, o coração da cidade”, afirmou o presidente da CMC, no discurso que proferiu após o descerramento da placa identificativa e de uma visita ao espaço. 

Uma intervenção efetuada no âmbito da revitalização do centro histórico da cidade e foi cofinanciada, em 85%, pelo Programa Operacional Regional do Centro “Mais Centro”, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) do Quadro de Referência Estratégica Nacional. A empreitada teve um custo total de 817.503,79 euros, sendo que o investimento ilegível foi de 777.250,42 euros e a comparticipação FEDER de 660.662,86 euros (valores com IVA incluído).

“Há aqui um financiamento significativo de fundos comunitários (…). O QREN financiou o restauro do edificado com 660 mil euros, que é um valor significativo. Mas o dinheiro está muito bem empregue”, acrescentou Manuel Machado, destacando a importância do novo equipamento para a “revivificação do centro histórico”.

Para a exploração do espaço, a CMC abriu um concurso público, em novembro do ano passado, destinado às IPSS do concelho. A autarquia comprometeu-se a ceder a exploração do espaço à IPSS que entregasse a melhor proposta global, considerando a qualidade do projeto educativo, a resposta educativa e social, as atividades a desenvolver com a comunidade envolvente e os recursos humanos necessários, bem como o valor mensal a pagar pelo candidato ao Município.

A autarquia teve ainda em conta o objetivo da requalificação do imóvel e implementação de uma creche: dar resposta às necessidades sentidas pelos casais que residam ou trabalhem no centro histórico, fixando população jovem nesta zona da cidade e invertendo, assim, a tendência de êxodo para a periferia.

“A Obra de Promoção Social do Distrito de Coimbra tem um trabalho notável (…), sobretudo a proteger os que mais precisam. E faz isso com boas regras. É discreta, é eficaz, é servida por excelentes profissionais e os seus responsáveis são pessoas que têm alma, que têm um sentido muito especial de ‘fazer bem, sem olhar a quem’. E seguiram uma velha máxima de ajudarem a ser felizes as crianças da nossa terra. E aqui chegados, por concurso público, a Obra de Promoção Social foi a proposta selecionada pela Câmara Municipal para dar uso a estas instalações”, adiantou Manuel Machado.

O direito de exploração do imóvel foi, então, entregue à Obra de Promoção Social do Distrito de Coimbra, pelo valor mensal de 504,30 euros (IVA incluído), e pelo prazo de 15 anos. Um contrato assinado hoje, na cerimónia de inauguração do novo equipamento. “Queremos agradecer a confiança que em nós depositaram e afirmar que tudo faremos para dar a melhor resposta a todos quantos de nós precisam, pois com a equipa educativa que temos, estamos certos de que os nossos utentes terão todo o carinho, afeto e dedicação que lhes são devidos”, concluiu Mendes dos Santos.

Estiveram ainda presentes na inauguração da creche da Sé Velha, entre vários responsáveis da Obra de Promoção Social do Distrito de Coimbra e técnicos da CMC que estiveram envolvidos no projeto, a vice-presidente da CMC, Rosa Reis Marques, e os vereadores Carlos Cidade, Jorge Alves, Carina Gomes e Ferreira da Silva, bem como a vogal executiva do Programa Centro 2020, Isabel Damasceno.

Cinco pisos de uma nova creche

O espaço divide-se em cinco pisos. O piso 0 conta com um átrio de serviço, instalações sanitárias para adultos e uma área técnica. Já o piso 1 dispõe de um átrio para a receção das crianças, uma sala de serviço administrativo, uma sala de refeições, cozinha equipada e instalações sanitárias, uma para crianças e outra para adultos e deficientes. Este piso dá ainda acesso à zona de recreio.

Os pisos 2 e 3 acolhem o jardim-de-infância, existindo duas sala de atividades, interligadas, em cada um dos pisos (num piso, as salas podem acolher uma turma até 22 alunos e, no outro, mais uma turma até 20 alunos), instalações sanitárias para crianças e para adultos em cada um dos pisos e, no piso 2, uma sala de apoio aos educadores e auxiliares e uma lavandaria.

O piso 4 acolhe a creche, com zona de berçário, que é constituída pela sala parque que dá acesso a uma sala de berços (com capacidade para sete crianças), à zona de higienização e à copa de leites. E dispõe ainda de instalações sanitárias para crianças, uma sala de atividades para os mais pequenos entre a aquisição de marcha e os dois anos de idade (que pode acolher até nove crianças) e outra sala para crianças entre os dois e os três anos de idade (com capacidade para acolher 13 crianças).

O novo equipamento socioeducativo encontra-se, assim, habilitado para receber 71 crianças: 29 na valência de creche (dos quatro meses aos três anos de idade) e 42 na valência de infantário (dos três aos cinco anos de idade).