CMC quer instalar mais 220 "hotspots" de acesso gratuito à internet

A Câmara Municipal de Coimbra prepara-se para instalar mais 220 “hotspots” para acesso gratuito à internet, a maior parte dos quais nos autocarros dos Serviços Municipalizados dos Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), e os restantes fixos, a distribuir por vários pontos do concelho. A vereadora do Turismo da CMC, Carina Gomes, apontou hoje esta medida como um dos contributos para construir uma cidade mais acessível a todos.

Ao abrir a conferência de apresentação de resultados do Projeto de Turismo Acessível e Inclusivo BRENDAIT (Building a Regional Network for the Devevelopment and Inclusive Tourism), que esta tarde decorreu no auditório da Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Carina Gomes salientou que a autarquia “tem projetadas importantes intervenções que visam tornar-nos numa cidade ainda mais acessível para todos.”

A título de exemplo, a vereadora referiu o projeto  “Rua para Todos”, inserido no PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Coimbra, que prevê a requalificação, designadamente, dos acessos e do Largo da Sé velha, bem como das conhecidas Escada do Quebra-costas, numa área classificada como Património Mundial pela Unesco e, como disse, “um dos ex-libris da cidade”.

Carina Gomes começaria por salientar o facto de as áreas onde se concentram os turistas em Coimbra terem vindo a alargar-se significativamente. Para a vereadora do turismo da CMC tal facto deve-se, como explicou, a fatores “intrinsecamente relacionados com a classificação da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia como Património Mundial e à abertura ao público do renovado Convento São Francisco, que já vem captando eventos turísticos de relevância nacional.”

Para Carina Gomes, “o desafio, agora, é duplo e consiste em manter os excelentes resultados que se vêm verificando e em aperfeiçoar as condições de acolhimento na nossa cidade.” Nesse sentido, a vereadora referiu que a CMC está a preparar três candidaturas ao Programa Valorizar, promovido pelo Turismo de Portugal.

Este é um programa com três linhas de financiamento previstas: a primeira destinada à valorização turística do interior (10 milhões); a segunda ao turismo acessível (5 milhões); e a terceira a projetos wi-fi nos centros históricos (1 milhão). “A CMC vai candidatar dois projetos à linha de apoio ao turismo acessível, para beneficiação de importantes zonas históricas”, disse Carina Gomes.

A vereadora fez saber que o Largo de São Salvador e a pavimentação do passeio que liga o Parque Dr. Manuel Braga ao Pavilhão Centro de Portugal vão ser melhorados. O outro projeto que referenciou diz respeito à disponibilização de redes Wi-fi. Nesse campo vai ser feito o alargamento da já existente rede de wifi gratuita Coimbra+ a outras zonas, de afluxo turístico, que ainda não estão abrangidas, dotando a cidade com cerca de 100 pontos de acesso.

A complementar tudo isto, um outro projeto prevê o alargamento desta rede aos autocarros dos SMTUC. “Em suma, entre fixos e móveis, serão criados 220 novos “hotspots” wifi no Município de Coimbra”, concluiu Carina Gomes.

O projeto BRENDAIT desenvolve uma metodologia para criar serviços de turismo acessíveis e inclusivos na região centro, sendo um consórcio que  junta Turismo Centro de Portugal, Associação de Hotelaria de Portugal, Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, European Network Acessible Tourism,  e Perfil, Psicologia e Trabalho.

Juntamente com a vereadora Carina Gomes, a sessão de abertura contou com a presença de Pedro Machado, presidente da Turismo do Centro, Teresa Ferreira, diretora do Turismo de Portugal, e Ana Abrunhosa, presidente da CCDRC.

Os três intervenientes no primeiro painel, denominado “A Região Centro e o Turismo Acessível e Inclusivo”, afinariam pela mesma bitola ao afirmarem que projetos de turismo inclusivo e acessível a todos devem ser alargados a todo o território nacional.