CMC leva o teatro às escolas pela mão de O Teatrão

O vereador da Educação da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Jorge Alves, assistiu hoje, na Escola do 1º Ciclo do Ensino Básico (CEB) de Casconha, freguesia de Cernache, e na companhia de várias dezenas de alunos, ao espetáculo “Há Tempo para Tudo”, desenvolvido pela companhia de teatro O Teatrão. Uma representação inserida no programa “Ver e Pensar”, que integra o projeto educativo que o Teatrão desenvolveu e que a CMC promove em vários jardins-de-infância e escolas do 1º CEB do concelho. “Parabéns. O espetáculo está muito interessante e desenvolve temas abordados na escola, que também fazem parte da vida das crianças", afirmou, no final, Jorge Alves, em conversa com a atriz Margarida Sousa.

Foi uma tarde diferente para os alunos da escola EB1 de Casconha. Hoje, a companhia O Teatrão foi à escola apresentar a peça “Há Tempo para Tudo” e, no final, a atriz Margarida Sousa quis saber o que é que o público achou do espetáculo. “O que é que vocês viram?”, questionou, dirigindo-se às crianças que se encontravam na sala. “A Primavera.” “Uma girafa e um macaco.” “Um cavalo.” “Um urso a hibernar.” “Eu vi desfolhar o milho.” “E pisar uvas.”

As respostas surgiam em simultâneo e de todos os cantos da sala. As crianças divertiram-se e aprenderam muita coisa sobre o tempo, o tempo das coisas e o tempo que se faz sentir, sobre brincar e as brincadeiras de outros tempos, sobre as estações e aquilo que as carateriza.

No meio da plateia interessada esteve também o vereador da Educação da CMC. Foi visível o agrado de Jorge Alves com o espetáculo e, no final, fez questão de dar os parabéns à equipa da companhia de teatro O Teatrão. “Ainda não tinha visto o espetáculo e é muito interessante. É uma peça engraçada, que trabalha de uma forma bastante divertida conteúdos importantes e que muitas crianças não conhecem assim tão bem, como a desfolhada do milho ou a tradição de pisar as uvas”, referiu. “É que estas crianças estão numa zona urbana e não têm estes hábitos, só vão sabendo pelos avós”, acrescentou.

O espetáculo “Há Tempo para Tudo” está inserido no programa “Ver e Pensar”, que integra o projeto educativo que o Teatrão e a CMC estão a levar, já desde 2015, a vários jardins-de-infância e escolas do 1º CEB do concelho. No ano letivo passado, o Teatrão foi a seis jardins-de-infância e seis escolas do 1º CEB. Este ano letivo, de 2016/2017, o programa abrange sete jardins-de-infância e 11 escolas do 1º CEB. “Para o ano vamos conseguir chegar às escolas que ainda não foram abrangidas por este programa. A ideia é que não fique nenhuma de fora”, argumentou o vereador Jorge Alves, defendendo a importância de levar o teatro às escolas, para proporcionar esta experiência a todas as crianças e despertar-lhes o gosto pela arte de representar.

Para além do “Ver e Pensar”, o projeto educativo desenvolvido por O Teatrão, com a colaboração da CMC – que ainda no último trimestre de 2016 atribuiu um apoio financeiro pontual de 25 mil euros à companhia para a concretização de mais um ciclo deste projeto – inclui ainda o programa “P’ros Grandes: detráspráfrente”, este dirigido ao público sénior. O ano passado, o programa “P’ros Grandes: detráspráfrente” decorreu em 15 Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho. Este ano, está previsto chegar a outras 11 IPSS.

Amanhã, Margarida Sousa, Joana Isabella, João Amorim e João Santos vão estar a representar noutro palco deste concelho. A escola que se segue é a de Montes Claros e são os seus alunos que vão procurar decifrar as mensagens do “Há Tempo para Tudo”. “Um espetáculo sobre as estações do ano e aquilo que elas nos provocam (…), sobre o tempo das coisas (…), as voltas que o tempo dá (…), a memória das sensações das coisas (…), sobre o tempo de brincar e o tempo que faz quando se brinca”, lê-se no site da companhia de teatro, em www.oteatrao.com. Uma forma de levar o teatro às escolas, possibilitando assim o acesso à cultura a todos os alunos dos jardins-de-infância e das escolas do 1º CEB do concelho.